Fernanda Pietragalla
Expressamos na escrita, o que possuímos na alma.
Capa Meu Diário Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
Textos
PENSANDO DEMAIS
Ando com a cabeça fervilhando. Tabalhando em duas escolas o que não falta é conflito: conflito porque não recebemos bônus, conflito porque devemos seguir diretrizes que não levam a educação a lugar nenhum, já que no final o que importa são os resultados e não o processo como um todo.

Há ainda um conflito que ultrapassa os limites dos muros das escolas: famílias.

A todos aqueles que enxergam crianças como seres repletos de candura, digo, elas não o são o tempo todo. Explico:

1- A criança nasce necessariamente do encontro de um homem e mulher. Repare que digo encontro e não união.

2- Quando há união, ou seja constituição de uma família, muitas vezes, esa criança cresce podendo fazer tudo o que lhe dá na telha.

3- Chega a hora de ir para a escola, e aí provoco: escola é lugar para... aprender.

A função social da escola que é transmitir conhecimento, deixa de existir, quando tem de assumir foutras funções sociais: cuidadosespecífico no que diz respeito a saúde, física e psicológica. Fica ao professor a responsabilidade de dar a esse ser, a educação informal como a formal.

Só que para qualquer ser aprender algo com mais profundidade, é necessário a discipli, não aquela castradora, mas aquela que se exercita, par tornar-se um hábito.

E quando em sala de aula, um professor tenta fazer esse exercício, muitas mamães e papais senten-se afrontados, pois seus filhos estão sendo "reprimidos". Haja vista o exemplo dado na novela CAMINHO DAS ÍNDIAS.

Mas o que funde mais minha cabeça é como a sociedade vê a profissão do professor. Flal-se o professor deu aula, não ministrou aula. há a idéia de que o trabalho de ensinar é gratuito, como algo dado. A mão de obra do professor é desvalorizada a partir daí: professor vende sua mão de obra, ele vende aula, assim como médico vende consulta, e no consultório a função dele é curar, ou proporcionar condições para cura, prescrevendo medicação . O mecânico conserta o carro, ele não dá conserto, a costureira executa a costura, não dá a costura. Por quê o professor tem que "dar aula".

Questionamentos apenas. Onde estão papapis e mamães na hora de dar, aí sim DAR educação aos filhos, quando ele socam, esmurram, cospem, chutam, agridem verbal e fisicamente colegas e professores ? Como ensinar seres primitivos dessa maneira ? Não há Construitivismo que resista ou se execute dessa maneira. Muito se fala, pouco se faz. O construtivismo virou a muleta de pais e professores para justificar atiutudes marginais. Tudo pode. Nada é contestado. os pequenos são os imperadores do lar e das escolas, pais, mães e professores, seus escravos. Aí pergunto qual meu papel, já que a sociedade e os próprios órgãos governamentais não conseguem estabelecer o limite daquilo que é seu e o que é do outro, princípio básico em qualquer filisofia de bolso.

Por fim, do encontro de um homem e uma muulher, há a consequência que será um filho e portanto responsabilidade primeira deles, depois de seus professores.

Ando pensando demais.


Fernanda Pietragalla
Enviado por Fernanda Pietragalla em 13/04/2009
Comentários
Capa Meu Diário Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links