Fernanda Pietragalla
Expressamos na escrita, o que possuímos na alma.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

BULLYNG: Será que o professor não é vítima ?
Muito se fala em bullyng com relação às crianças, alunos do ensino mé dio e essa atitude deve ser repudiada de todas as formas.Porém acordei com uma idéia que não que rme abandonar: será que professor também não sofre com essa prática?

Não são raras as notícias que relatam atitudes agressivas fisica e verbalmente ao professor. Quando um aluno de ensino médio por exemplo começa a fazer sua baderna em sala de aula, será que não constrange o profissional que está lá para ensinar?
Será que mães desocupadas em portões de escola, apenas criticando o trabalho do profissional ( se passa lição é carrasco, se pega leve é vagabundo), não passa pelo viés dessa prática tão repudiada ?
Ou ainda: será que governantes não colocam subliminarmente essa mensagem à população, quando faz propaganda de bônus em salário, alegando:" ... quem esina melhor ganha mais ..."
Questiono: quem sai de sua casa para dar aula no intuito de ter tal atividade profissional apenas como passatempo ?
Bullying[1] é um termo inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (bully - «tiranete» ou «valentão») ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz(es) de se defender.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bullying
Pois bem :
Quem está ao lado do professor em sala de aula para poder resguar sua integridade fisica e moral, quanso são humilhados pelo grupo de alunos para quem preta seus serviço?
Por outro lado, como grupo social e profissional, o professor tem seu quinhão de culpa, quando se amedronta diante de direlções de escola tiranas, quando se amedronta diante de alunos ogros,  diante das línguas ferinas das progenitoras , como já disse, em portões de escola.
Quando um professor leva á direção escolar que está sendo por alunos e mães, a resposta é sempre que nada pode sr feito. PORÉM... se ele cometer o despautério de cobrar uma atividade que deveria ter sido feita em casa, se cobra um trabalho com da marcada com um mês de antecedência, aí a desgraça recai sobre o infeliz que acredita que pode modificar a sociedade sozinho.
BASTA! CHEGA!
Professor, acorde e corra atrás de seus direitos: dexamos pessoas como Cremilda acabarem com nossa profissão e nada fazemos! Somos um rebanho esperando a hora do abate, mas já estamos mortos, pois não reagimos a nada!
Participação da vida escolar do filho é fundamental sim,  a família tem que saber sim o que sua criança está aprendendo e o que a escola faz, porém nçao admito de forma alguma que pessoas que desejam o filho no mundo e não acompanham o trabalho do professor cheguem atirando seu veneno, sem saber o que acontece em sala de aula, sem dar a assistência necessária aos filhos, sem cuidar da higiene, sem cuidados médicos, fonoaudiológicos e psicológiocos. E aí, o fracasso ocorre e o responsável é sempre o mesmo idiota que se propõe a ensinar.
Toda essa história está longe de terminar, pois infelizmente professor não é coeso. Os medíocres já estão unidos, falta agora o prfissional de educação, gritar que não suporta mais ser humilhado e está sim sendo vítima Bullyng.
E aí sim começar resgatar a dignidade da profissão, pois professor não é cpacho para ser pisado por governo, mídia, e pais que não cumprem com seu dever de dar educação em casa aos filhos.
Fernanda Pietragalla
Enviado por Fernanda Pietragalla em 01/07/2010
Alterado em 19/10/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Fernanda Pietra www.fernandapietra.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários